quarta-feira, 24 de outubro de 2012

REINO UNIDO QUER FAZER UMA GUERRA CONTRA EXTRATERRESTRES?




Há uns anos atrás tudo não passavam de histórias de ficção que serviam de base para fazer filmes de grande sucesso de bilheteira como "A Guerra dos Mundos", "A Guerras das Estrelas", etc., dando sempre a ideia  de que os seres de outros Planetas são hostis e invasores que querem tomar a Terra, acabando sempre por sairem vitoriosos os humanos que têm para os defender os poderosos  norte-americanos.

Agora passou tudo da tela para a realidade e os britânicos, tal como os americanos, parece terem preparado sofisticado armamento militar para atacar qualquer Frota Espacial que se aproxime de nosso Planeta,  como veio a público numa noticia que se pode ver  aqui:
 
Penso que os homens estão ficando cada vez mais loucos e alguns tentam convencer o maior número de pessoas de que os Extraterrestes querem nos invadir ou colonizar para assim justificarem uma guerra contra qualquer  Frota Espacial que se aproxime da Terra, mesmo que venham em missão de ajudar a salvar a Humanidade de catástrofes e calamidades iminentes que já começam  eclodir e se agravarão nos tempos que vivemos, pelo que de nada servirão todos os exércitos juntos do Planeta (O Armagedom Militar) cujas armas serão neutralizadas ou desativadas antes mesmo de serem utilizadas. Os Serviços de Inteligence norte-americanos sabem isso porque já tiveram uma demonstração a esse respeito.

Parece que está a travar-se uma grande luta dos grandes interesses instalados que tentam a todo o custo dificultar qualquer Intervenção Intra ou Extraterrena que se cumprirá decerto aqui na Terra para se dar início a uma Nova Era.

Seria bom que o Ministro da Defesa do Reino Unido considerasse as palavras de um ex Ministro da Defesa do Canadá (Paul Hellyer) que podem ler neste link:
http://www.novaera-alvorecer.net/a_verdade_dos_extraterrestres.htm

Rui Palmela


23 comentários:

Pedro III disse...

• Projeto BlueBeam em andamento..

Romão Casals disse...

Sr. Rui,

Eu gostava de colocar aqui um comentariozinho mas possivelmente não lhe vai cair muito bem a pertinência das minhas palavras. Peço desculpa…

Será que posso?

Também podemos fazer outra coisa:

Eu corroboro a autenticidade da notícia, elogio o teu comentário e tu agradeces.

Rui Palmela disse...

Caro Romão,

Até agora não tens sido impedido de fazer comentários livremente, mesmo os que acho 'incómodos' ou contrários às minhas ideias que não imponho a ninguém nem espero que todos concordem comigo sobre assuntos que uns compreendem mais facilmente do que outros.

Portanto, não precisas corroborar nada com que não concordes, ou fazer elogios falsos à minha pessoa como forma de eu aceitar algo que não me agrade ou não me caia bem.

Aqui neste espaço tens tido liberdade para comentar todos os assuntos, mesmo que de forma manifestamente religiosa ou demasiado ortodoxa para o meu gosto, mas no entanto não impeço tua liberdade de expressão e de opinião desde que o faças de forma digna e sem linguagem imprópria ou inadequada que aqui não permito. De resto, acabei de recusar um comentário de um amigo "anónimo" por razões que ele amanhã decerto compreenderá e quiçá me pedirá desculpa pelo sucedido.

Romão Casals disse...

Sendo assim fico mais descansado…, depois não digas que não te avisei.

Isto vai rebentar com os limites da tua generosidade.

Então aqui vai:

O tipo de interpretação que abordo aqui é particularmente delicado, susceptível de ser confundido com noções religiosas, que estão fora do meu propósito.

Precisemos pois, desde já, que não irei sugerir que os ovnis são os veículos dos anjos, posso interrogar, contudo, fora de todo o contexto religioso, mas sem excluir totalmente uma interferência do mesmo.

Será possível existir seres pensantes imateriais, constituídos por uma forma de matéria ou energia diferente do convencional?

Ou seriam sobrenaturais, no sentido de que eles superam a nossa natureza, sem necessariamente a transcender?

Alguns teólogos defendem, de forma peculiar, o mito dos elementais, seres inteligentes constituídos por uma matéria subtil, vivendo na atmosfera terrestre e podendo, ocasionalmente, utilizando-se da energia do planeta Terra, apresentar-se-nos sob a forma material.

Os ovnis seriam uma das suas manifestações, este género de hipótese tem a vantagem de nos explicar as aparições, no local, não somente dos ovnis, mas por vezes também, dos seres humanoides detetados nas proximidades.

Na minha opinião, não é de forma alguma necessário recorrer a uma tal interpretação, que na verdade é mais que gratuita.

Com efeito, se a sua falsidade, é decerto, indemonstrável, ela apresenta o grave defeito de não obedecer ao princípio da “lâmina de Occam”, que é preciso não esquecer, é extremamente complicado introduzir novas premissas no caso das entidades não materiais.

Por conseguinte, este tipo de notícias é manifestamente uma manobra de diversão, contradiz o encobrimento e desvaloriza a curiosidade.

PS: Por favor não te zangues comigo, desejo-te um bom natal com muitas prendas e boa disposição.

Sempre amigo Romão Casals

Rui Palmela disse...


Só isso?!!! lol.

Querido amigo, sei distinguir uma coisa da outra, ou seja, a existência de Seres sublimes que conhecemos por Anjos e Arcanjos que fazem parte de uma Hierarquia Celestial que zelam pela vida e Ordem dos Mundos, e os Seres Extraterrestes nossos Irmãos do Cosmos que habitam outras esferas do Universo semelhantes à Terra, com sua ciência e tecnologia mais avançada que lhes permite viajar em seus veículos espaciais percorrendo grandes distâncias na Galáxia da qual fazemos parte e foram muitas vezes chamados de 'Anjos' também nos tempos bíblicos por virem do céu, tal como se refere na Bíblia em muitos casos de contacto ou aparição com povos antigos que assim os classificaram.

Os 'Anjos' que apareceram a Lot antes da destruição de Sodoma e Gomorra, por exemplo, eram de carne e osso e não de natureza imaterial, bem como aqueles outros referidos no Livro de Enohc que vieram do céu para tomarem para si as filhas dos homens por serem formosas e lhes geraram filhos, tal como sugere o Livro de Génesis em cap. 6: 2 e 4.

É claro que não me estou referindo aos Anjos de outra natureza mais sublime igualmente referidos na Bíblia que fazem parte de nosso imaginário colectivo e religioso. Esses se manifestam de outra forma e não precisam de se deslocar em veículos espaciais que cruzam o espaço cósmico ou penetram na atmosfera terreste, conhecidos hoje por Ovnis e noutros tempos por "carros de fogo", "nuvens resplandecentes" e outras designações semelhantes. Esses veículos esféricos ou ovais aparecem inúmeras vezes retratados nas pinturas de arte sacra medievais. Já pensaste nisso?

Também era conhecidos por "Vimanas" nos escritos orientais. Se quiseres saber algo a respeito lê esta minha página do site pessoal: http://www.novaera-alvorecer.net/vimanas.htm

E pronto, querido amigo, penso que sei distinguir os Anjos dos Seres físicos de outros Mundos que nos visitam há milhares de anos com suas capacidades e conhecimentos mais avançados do que os nossos.

Um abraço e boa disposição também para ti com muitas prendas do Natal.

Do sempre Amigo Anjo

Rui Palmela

Romão Casals disse...

Focaste um aspecto que me parece interessante…

A pretensão dos eruditos actuais é grande, ela se esconde na obscuridade da conveniência, transformando os anjos em alienígenas extraterrestres intergalácticos, a guerra do bem contra o mal pela consciência e domínio da civilização humana. Pedem que se reinterprete o significado de Deus, quando eles próprios não conseguem perceber o sentido da fé.

Toda esta obsessiva intenção, esta literalmente orientada para uma nova hermenêutica, forçando a leitura das escrituras em uma perspectiva extraterrestre, intergaláctica, inclusive a batalha final do apocalipse, as visões de Ezequiel e a volta de Jesus.

O que me impressiona é a ignorância dos ufólogos que afirmam a ideia de anjos alados sendo apenas uma interpretação simbólica para justificar os seres intergalácticos que vêem de outros lugares do cosmos. O extraordinário é o facto de que as escrituras não ignoram, sob hipótese alguma esta realidade, fomos feitos por um pouco menor, são os seres de uma outra dimensão.

Paulo é bem explícito quando diz que estas criaturas não são da mesma carne, distinguindo esta ordem de criação em uma outra natureza, são corpos celestiais com um esplendor diferente e habitam o (outro) universo invisível.

No entanto, para estes defensores da ficção científica, tudo o que se materializa é carne e sangue, vem de uma galáxia distante, quando na realidade é extremamente mais simples, crer nas afirmações da escritura.

Rui Palmela disse...

Querido amigo,

Creio que quem fantasiou muitos aspectos das escrituras foram seus próprios interpretadores com pensamento ainda hoje limitado a conceitos religiosos pelos quais são capazes de fazer (ainda hoje) guerras em nome de suas convicções que são as das diversas religiões.

Porém até mesmo a própria ‘Santa’ Igreja do Vaticano já vai abrindo sua visão e se actualizando à luz do conhecimento actual aceitando aquilo que no passado rejeitava e até condenava à fogueira quem ousasse contrariar suas teses ou dogmas, valendo-se das Escrituras que sempre foram alvo de tantas interpretações que até mesmo Jesus Cristo contrariava no seu tempo fazendo algumas desmistificações. Tal facto levou a que os sacerdotes ou principais do templo o acusassem de blasfemo e o levaram à crucificação e perseguição aos próprios discípulos, convencidos de que estavam prestando um bom serviço a Deus matando seu Filho, tal como os inquisidores de Roma o fizeram a tantas pessoas nos séculos seguintes em nome da Religião que seguia uma fé (cega) com base na própria interpretação das Escrituras.

O fanatismo e o obscurantismo ainda hoje existe nos mais fervorosos conservadores da ‘palavra’ que julgam saber interpretar e muitos até são capazes de condenar os ‘infiéis’ que não pensem do mesmo modo sobre o que está escrito, não lhes reconhecendo a capacidade de pensar ou raciocinar livremente quiçá até pelo poder do Espírito que revela toda a verdade a quem a procura de coração e encontra dentro de si aquilo que não encontra em nenhuma Igreja ou Religião.

Posto isto, caro Romão, creio que muitos ufólogos estão certos quando desmistificam certas histórias bíblicas e acontecimentos de manifestações extraterrestes de outros tempos que hoje se tornam mais claras à luz de vários conhecimentos. Devias ler o Livro de Enohc, um apócrifo muito anterior à Biblia e suprimido desta por alguma razão, onde se fala de Seres que desceram do céu para se unir ás mulheres belas e formosas da terra a quem geraram filhos. Aliás, somente isso é referido no Génesis, omitindo no entanto tudo o resto.

Nesse Livro fala-se de duzentos anjos ou seres Extraterrestes que desceram na Terra ao que se julga no Perú, na Mongólia, na Arménia, e na Hiperbórea (hoje submersa) referindo até os nomes de seus próprios chefes que eram: Samayaza, Urakabarameel, Akibeel, Tamiel, Ramuel, Danel, Azkaeel, Sarakamyal, Asael, Armers, Batraal, Anane, Zavebe, Samsaveel, Ertael, Turel, Yomayel, Arazeal.

Estes ‘anjos’ de carne e osso coabitaram com as filhas dos homens e lhes ensinaram coisas que elas desconheciam, inclusive as propriedades alimentares e medicinais dos vegetais, bem como magias e encantamentos. Aos homens ensinaram a arte de observar as estrelas, os signos, os movimentos da Lua, etc, bem como outras coisas que os havia de corromper até aos dias de hoje. Talvez por causa dessa ‘degeneração da espécie humana’ tenha sucedido o Dilúvio como está descrito.

Enfim, esse tipo de anjos não eram certamente aqueles que Miguel Angelo pintou nas abóbadas das Igrejas do seu tempo, nem os misturo com os outros milhares de Anjos do agiógio católico dos quais apenas conhecemos os principais por Miguel, Rafael e Gabriel, além dos Anjos da Guarda de nossa infância e dos roliços bonacheirões com pequenas asinhas aos pés da “Mãe Divina”.

Enfim, querido amigo, se continuamos a discutir este assunto dos Anjos que Jesus referiu que viriam sobre as “nuvens do céu”, com poder e “grande glória” para intervir na Terra e recolher dos ‘4 ventos’ o número de eleitos como está escrito, decerto concordarás que Ele se estava referindo a Extraterrestes que hoje vamos ouvindo falar cada vez mais e a maioria das pessoas do Planeta acredita nos tempos actuais. A própria Igreja do Vaticano assim o admite igualmente e já o referi anteriormente.

Romão Casals disse...

Meu amigo Rui,

A igreja católica, as igrejas protestantes e qualquer outra entidade de bom senso, não descarta a hipótese de vida em outros locais do universo, ninguém pode ter a prepotência de refutar esta teoria, muito menos a arrogância de querer ser igual ao criador nascido do Pai antes de todos os séculos.

Com efeito, em um sentido pratico, é evidente que a igreja admite tal possibilidade, embora o faça de uma forma ponderada sem fanatismos e conceitos de entusiasmo sensacionalista.

O que dizes ser verdade é extremamente pretensioso e ousado, queres à viva força que os exércitos de Cristo sejam criaturas de carne e osso, descartando os seres sobrenaturais que formam a hierarquia celestial e zelam pela ordem dos mundos.

Não bastante, ainda assim, alimentas a ideia de que todos eles (sem excepção) são bonzinhos, amigos tolerantes, psicólogos da desventura humana e com uma dedicação milenar sem precedentes.

Não achas que é pedir demais?

Afirmas serem nossos irmãos, mas nunca me foram apresentados e não tenho sustentação teológica para refutar a ideia de que os anjos narrados por Mateus são de facto, seres celestiais que habitam o desconhecido e não apenas uma interpretação simbólica como queres que seja.

Quanto ao livro apócrifo de Enoque e a sua extravagante originalidade, com criaturas humanas de 3.000 côvados (45cmx3.000=1.350metros de altura, «fantástico»), mulheres transformadas em sereias e outras descrições absurdas, poupa-me a este imbróglio de fantasias de um louco retardado.

Nota que não te estou a impor absolutamente nada, espero apenas que revejas o conceito de vida extraterrestre, que tipo de inteligências são estas… Mas, quem sabe, podes estar certo nas tuas previsões, só não compreendo qual é o papel dos anjos que tu dizes serem os zeladores dos mundos.

Gostaria de continuar a raciocinar e a ponderar os teus prognósticos, mas se for possível, podias evitar essa lengalenga do “pensamento limitado, preso a conceitos religiosos” que nada tem a ver com o assunto propriamente dito.

Agradeço a gentileza.

Rui Palmela disse...

Querido Amigo Romão,

Dou-te um exemplo concreto sobre o ocorrido em Fátima no dia 13 de Outubro de 1917, o chamado “Milagre do Sol”, que a Igreja Católica deu sua própria interpretação e milhares de pessoas observaram num tempo em que não se falava de Ovnis ou pouco ou nada se sabia sobre isso e se alimentou a ideia de que foi mesmo o Sol que surgiu entre as nuvens para fazer uma ‘dança’ que deixou toda a gente assustada e estupefacta, havendo registo documental do acontecimento que a escritora Fina d’Armada teve acesso e cuja descrição é bem clara de que foi uma nave radiante, tipo Disco-Voador, que ali se manifestou e não o Astro-Rei a 150 milhões de Km da Terra.

A descrição do sucedido é esta:

"Chovera a cântaros naquele dia e ainda chuviscava quando, ao entardecer, no instante em que a 'Senhora' se elevava, Lúcia gritava: “Olhem para o sol”! As nuvens se entreabriram e descortinaram o sol. Mas era um sol estranho, achatado, com um contorno bem definido, que mais parecia um imenso disco de prata. Brilhava com uma intensidade jamais vista, mas não ofuscava nem cegava. O disco começou a “bailar” e, qual gigantesca roda de fogo, girava rapidamente. Imobilizou-se por alguns instantes para recomeçar a girar vertiginosamente sobre si mesmo. Suas bordas tornaram-se escarlates e deslizou como um redemoinho, espargindo chamas de fogo.

Jorrava cascatas de luzes verdes, vermelhas, azuis e violetas, de variadas tonalidades, que se reflectiam no solo, nas árvores, nos arbustos, nas roupas e nas próprias faces das pessoas. Animado por um movimento louco, o globo de fogo tremulou e sacudiu antes de precipitar-se em 'zigue-zague' sobre a multidão que, apavorada, esboçou gestos de pânico. Era como se o fim do mundo houvesse chegado. O disco então parou por alguns minutos como se concedesse um intervalo de descanso, para logo em seguida recomeçar os movimentos e emitir luzes flamejantes. Após nova pausa, a dança recomeçou, tão gloriosa, quanto antes. O “milagre do sol” durou um total de 12 minutos, no fim dos quais muitos notaram que suas roupas, encharcadas pela chuva, haviam secado completamente, assim como o chão. O ciclo das aparições terminava".

(continua)

Rui Palmela disse...

continuação)

O propósito de tal aparição e "manobra de diversão" eu compreendo bem, pois era preciso que as pessoas acreditassem nas crianças e na mensagem que elas tinham recebido para dizer ao mundo, e as autoridades religiosas impediram isso, chegando mesmo a difamá-las e acusá-las de amotinadoras. As 3 crianças estavam sofrendo imenso com tudo isso e até chegaram a ficar presas com ameaças para que confessassem quem estava por detrás delas e elas falavam apenas que tinha sido uma “senhora luminosa” que lhes tinha aparecido. A Igreja depois fantasiou tudo e controlou a situação à sua maneira arranjando uma imagem que passaria a ser venerada até hoje e tem servido para fins que não aqueles que a “Senhora luminosa” ou Entidade Extraterreste pretendia. De resto, ela apareceu a 3 simples crianças que pastavam um rebanho na Cova da Iria e não aos altos dignitários da Igreja de Roma por alguma razão.

Tudo isto para te dizer que a interpretação que se faz de muitas coisas da Bíblia que tenham a ver com manifestações extraterrestes ao longo dos tempos, nem os próprios discípulos de Jesus saberiam compreender ou falar deles como hoje é possivel fazer.

Já agora, qual a ideia que fazes da ‘transfiguração’ de Jesus no alto do Monte Tabor onde ele subiu para ‘orar’ na companhia de 3 discípulos e a certa altura desceu sobre o local uma “nuvem luminosa” e todos e entraram nela e os discípulos temeram? Quando sairam Jesus deu instruções aos 3 discípulos para que não falassem nada do que viram... O que pensas disso? E já agora, qual a razão de existir hoje junto ao lago Tiberiades uma construção tipo Ovni no local onde era a casa de Pedro? Recordo-te que Pedro foi um dos que esteve no alto do Monte Tabor...

Enfim, caro amigo Romão, muito há para dizer de facto, mas se naquele tempo nem os discípulos estavam preparados para saber certas coisas, verifico que isso ainda hoje acontece por parte de tantos crentes (católicos ou não) que se limitaram às fantasias e obsucrantismos da própria Religião.

Pausa para reflexão!

Romão Casals disse...

Em relação às aparições de Fátima, fui bem explícito a respeito do assunto, deves recordar-te do teu artigo “DESMISTIFICANDO FÁTIMA” no qual trocamos algumas (muitas) impressões, tendo eu conversado contigo expondo os diferentes pontos de vista.

Estou absolutamente certo que os Apóstolos não inventaram, nem esqueceram nada de fundamental dos acontecimentos na vida de Jesus. Todos eles, após a ascensão de Cristo, transmitiram aos ouvintes aquilo que Jesus dissera e fizera, com aquela mais plena compreensão de que gozavam, instruídos que foram pelos gloriosos momentos de Cristo e esclarecidos pela luz do Espírito da verdade.

Os primeiros cristãos precisavam de uma firme convicção para se insubordinar contra as exigências do Judaísmo, assim como os cristãos de outras terras, contra os mitos e crenças do paganismo, o Espírito Santo não só inspira quem lê mas também quem ouve. Se os milagres dos Apóstolos não tivessem confirmado os de Jesus, nunca se teriam convertido em tão grande número com todas aquelas dificuldades e perseguições.

São até ridículos os ataques contra a historicidade dos Evangelhos, trata-se precisamente do melhor caso testemunhado em toda a história da humanidade, é completamente absurdo, puro preconceito desmedido, afirmar que os Evangelhos em geral e os milagres em particular, se devem a elaborações ou mitos dos primeiros cristãos. Por tudo isto, é absolutamente certo a interpretação inequívoca dos acontecimentos.

O número de manuscritos do Novo Testamento, das primitivas traduções e citações dos antigos escritores, é tão grande, que em nenhuma outra autoridade da antiguidade, temos absoluta certeza que foi preservada a verdadeira versão. Isto não se pode dizer de nenhuma outra obra literária em todo o mundo.

Além do mais, contra isso de "experiências equivocadas", na realidade os Apóstolos não eram proclives a acreditar em qualquer coisa, quem tenha o mínimo de conhecimento de crítica histórica, ou mesmo o mínimo de bom senso, compreende que os eventos presenciados na companhia de Jesus, foram relatados na íntegra por amor à verdade.

E pronto…, nada mas há a dizer uma vez que te recusas deliberadamente a acreditar na autenticidade descritiva das Escrituras, sem margem para qualquer outra interpretação fraudulenta.

Romão Casals disse...

Respondendo às indagações a respeito dos eventos em Fátima.

No evangelho de Lucas, a Virgem Maria é coberta com a glória e majestade do Altíssimo, ela é incorruptível, foi preservada de todo o pecado e levada para o céu.
Nossa Senhora realmente apareceu diversas vezes revelando o plano de Deus para converter a humanidade.

Durante as aparições em Fátima, a Senhora que dizes ser extraterrestre, pede que se reze o terço todos os dias, disse também que Jesus quer que o mundo se sacrifique ao seu imaculado coração, ela prometeu a salvação para aqueles que abraçarem esta devoção.

As crianças pediam por um milagre para que todos acreditassem que era realmente a Mãe do Senhor, foi-lhes respondido que em 13 de Outubro de 1917, se realizaria um milagre que todos hão-de ver para acreditar.

Na véspera do dia assinalado, houve uma grande tempestade, chovera toda a noite, e todos os que acorreram ao local tinham lama ate aos tornozelos. No momento em que aparece a dita Senhora, a pequena Lúcia pede à multidão para fechar os guarda-chuvas, no meio de um lugar totalmente enlameado.

O Sol começa a fazer movimentos estranhos, muda de cor, gira aleatoriamente e rapidamente se transforma em uma gigante bola de fogo, eram 70.000 pessoas reunidas para testemunhar o milagre prometido. No meio de tal fenómeno, muitas foram as que pelo chão se prostraram acreditando que o fim do mundo havia chegado.

Quando tudo volta ao normal, muitas pessoas sofrendo de enfermidades foram curadas de um momento para o outro, o milagre congelou todos, transformando o coração dos incrédulos, confirmando milhares de pessoas na fé católica.

O chão coberto de lama e a água que encharcava as roupas tinha secado instantaneamente, todos gritavam: “Um milagre! Um milagre!”

Mais tarde um cientista pôde examinar o solo, onde o fenómeno havia acontecido, ele disse que a quantidade de energia necessária para secar todo aquele lamaçal, teria que ser igual à fusão nuclear no interior de uma bomba de hidrogénio. Claro que se uma bomba tivesse sido lançada, todos teriam morrido, foi claramente algo muito estranho.

Em 15 de Outubro de 1917, dois dias depois, o periódico maçom anticatólico “O Século” disse sobre isso: «Como Sol bailou ao meio dia em Fátima, as aparições da Virgem, em que constituiu um sinal do céu, muitos milhares de pessoas afirmam ter-se produzido um milagre». O jornal disse na primeira página que Fátima foi o sinal do céu.

O que queriam eles dizer com isto?

Apareceu em seguida um grande sinal no céu: uma Mulher revestida do sol, a lua debaixo dos seus pés e na cabeça, uma coroa de doze estrelas. (Apocalipse 12:1)

Portanto, a primeira página foi a confirmação, de uma fonte pública e anticatólica, que a Nossa Senhora de Fátima e o seu milagre solar de 13 de Outubro, foram de facto, o sinal profetizado em Apocalipse 12. (pelo menos na opinião do diretor de redação)

Durante as suas aparições em Fátima, Nossa Senhora revelou três segredos às crianças, o primeiro foi uma visão do inferno, a Senhora abriu as mãos e um reflexo de luz pareceu penetrar na terra, vimos um grande mar de fogo onde mergulhados flutuavam os demónios e as almas como se fossem brasas negras, transparentes com forma humana.

Levadas pelas chamas que delas mesmo saiam, junto com nuvens de fumo caindo para todos os lados, sem peso nem equilíbrio, entre gritos e gemidos de dor e desespero que horrorizavam e faziam estremecer de pavor, os demónios distinguiam-se por formas horrendas e asquerosas de animais espantosos e desconhecidos, mas transparentes como negros carvões em brasa.

Romão Casals disse...

Depois Nossa senhora disse às crianças:

Vistes o inferno, para onde vão as almas dos pobres pecadores, se fizerem o que eu disser muitas almas se vão salvar, mas se não deixarem de ofender a Deus, começará outra guerra ainda pior. Quando numa noite iluminada aparecer uma luz desconhecida, sabei que é grande o sinal que Deus vos dá, Ele vai punir o mundo e os seus crimes.

Atendam ao meu pedido e a Rússia se converterá, se não, várias nações serão aniquiladas, promovendo guerras e perseguições à igreja, mas no final o meu imaculado coração triunfará e em Portugal se conservará sempre o dogma da fé, mas por agora não conteis isto para ninguém.

Para evitar a segunda guerra mundial e outras punições previstas na segunda parte do segredo, a Virgem Maria apareceu a Lúcia em 13 de Junho de 1929, pedindo para que a vontade de Deus se realiza-se sem demora.

O Papa Pio XI nunca tinha consagrado a Rússia, e no dia 25 de Janeiro de 1938,durante a noite, os céus da Europa foram iluminados por uma grande luz desconhecida, de tal modo, que nas ruas da Suíça às 23.00 se podia ler o jornal. A irmã Lúcia confirmou que este era o sinal previsto em Fátima e que o mundo estava prestes a ser punido.

Havia começado a 2º guerra mundial, a segunda parte do segredo foi preenchida.

Em 15 de Setembro de 1943 a irmã Lúcia adoeceu gravemente, a sua condição física era tão grave que o Bispo de Fátima ficou muito preocupado. Ele tinha ido visitá-la a Espanha e pedira-lhe que divulga-se por escrito o 3º segredo, a irmã Lúcia pediu que o Bispo escrevesse uma ordem formal.

Durante os três meses seguintes, Lúcia esforçava-se para escrever o conteúdo do 3º segredo, enquanto uma tremenda angustia a impedia de o fazer. Foi então que em 2 de Junho de 1944, a Virgem Maria apareceu dizendo que era a vontade do Senhor anunciar o 3º segredo.

Um dia depois, Lúcia pôde terminar a totalidade da profecia, o Bispo podia agora ler o segredo, mas decidiu não faze-lo porque estava assustado com a responsabilidade de ter conhecimento do seu conteúdo. Lúcia fez prometer ao bispo que o 3º segredo seja revelado ao mundo, o mais tardar em 1960, não importa o que acontecerá primeiro.

Em 1946 o Santo Oficio pedido a Lúcia o porquê de esperar até 1960, ela respondeu: “porque a Santíssima Virgem assim o quer”, foi a ultima vez que Lúcia respondeu a um pedido, depois nunca mais foi vista. Em 26 de Dezembro de 1957 concedeu uma entrevista ao Padre Augustín Fuentes. Poucos dias após da visita, falece no convento de Tui em Espanha.

O que se seguiu foi uma história vergonhosa na qual não me identifico.

Rui Palmela disse...

Caro Romão,

Antes de mais começo por acusar tua afirmação (falsa e difamatória) de que me recuso deliberadamente a acreditar na autenticidade descritiva das Escrituras que para mim as mais importantes são as do Novo Testamento ou Evangelhos de Cristo e todos os actos dos Apóstolos até ao Apocalipse de João ou Livro da Revelação, independentemente da interpretação que cada um faça do que está escrito de acordo com seu entendimento da verdade já que o “Espírito Santo” toca no coração de quem bem entende e a revela a quem a procura conforme sua Vontade. Certo? Quem te garante que o ‘Espírito’ não me inspira em tudo o que escrevo neste tempo de muita revelação em que é preciso afrontar ou desobstruir mentalidades adormecidas ou obscurecidas pelas fantasias da Religião?

Falas de coisas que não entendes e julgas que a ICAR está certa sobre os acontecimentos de Fátima no dia 13 de Outubro de 1917 a respeito do famigerado “milagre do Sol” que nada mais foi do que uma manifestação ovniológica naquela localidade e muita gente incrédula classificou de “Milagre” pela forma como tudo aconteceu e cujo registo consta em documentos da época que a Igreja possui e a escritora Fina d’Armada teve acesso e já citei anteriormente. Porém, não te pronunciaste sobre isso com teu próprio raciocínio e te limitaste apenas a referir a notícia publicada no jornal ‘O Século’ na época que se limitou a dar conta do fenómeno fazendo eco daquilo que pensaram as multidões. Hoje tal acontecimento seria designado doutra forma, caro amigo, não de ‘Milagre’ mas sim de acontecimento insólito que seria explicado doutro modo e muitos perceberiam que nada tinha a ver com o Sol e sim com mais um sinal de presença extraterrena que vai sendo observada cada vez mais nos tempos actuais.

A única diferença é que naquele tempo tudo aconteceu na sequência das várias aparições da Mensageira ou entidade Divina que falou com as 3 crianças deixando uma Mensagem que a própria Igreja impediu de ser revelada ao Mundo, enclausurando a jovem Lúcia desde os 11 anos de idade, mantendo-a refém num Convento até à sua morte aos 98. A Igreja terá certamente muitas contas a prestar à “Nossa Senhora” que não gostou de tal decisão da Religião e por alguma razão terá dito também na sua Mensagem:

..."AS AUTORIDADES ECLESIÁSTICAS TERÃO DE SE TRANSFORMAR E TOMAR O CONHECIMENTO DA VERDADE COMO BASE, SE TAL NÃO ACONTECER A MORTE REINARÁ NO MEIO DA IGREJA E OS CRISTÃOS AMALDIÇOARÃO O CLERO. TERÁ CHEGADO O FIM DOS PAPAS E OS ÚLTIMOS GEMERÃO SOB DORES CORPÓREAS (aconteceu a João Paulo II e a Paulo VI), ENQUANTO SUAS ALMAS COMO QUE AÇULADAS VAGARÃO A ESMO... NÃO ENCONTRARÃO UMA SAIDA. O SEU TRONO CAIRÁ!" Esqueceste-te de referir isto, ou desconheces?

Aliás, A “Senhora Luminosa” que falou com as 3 crianças de Fátima, não quis nada com a Igreja por alguma razão... De resto, a mesma Entidade já tinha dito anteriormente em La Sallete, o seguinte:

... "O TEMPO CADA VEZ MAIS SE APROXIMA, O ABISMO ABRE-SE. DESGRAÇADOS SERÃO OS HABITANTES DA TERRA QUANDO A ÉPOCA DO CASTIGO CHEGAR. SATANÁS OBSCURECEU A INTUIÇÃO DOS HOMENS E EM ESPECIAL DOS SUPERIORES DA IGREJA, E, COMO SENHOR DAS TREVAS, FICOU DOMINANDO ENTRE ELES. ASSIM QUE CHEGAR A HORA DA PUNIÇÃO, A PAZ FICTICIA SERÁ DESTRUIDA, O CULTO FALSO EXTERMINADO, E OS POUCOS QUE SE LIBERTAREM SERVIRÃO UNICAMENTE A DEUS TODO PODEROSO. GUERRAS SANGRENTAS, FOME E GRANDES TRAGÉDIAS VIRÃO, CIDADES INTEIRAS DESAPARECERÃO, MONTANHAS RUIRÃO E O FOGO E A ÁGUA SERÃO OS ELEMENTOS PURIFICADORES DA TERRA... TODOS SOFRERÃO SE NÃO SE MODIFICAREM... "

(continua)

Rui Palmela disse...

(continuação)

Pois é, caro amigo, quanto à questão da 2ª Guerra Mundial e do sinal que apareceu no céu da Europa anos antes dela acontecer, a mesma Entidade falou também que viria uma 3ª Grande Guerra e tão horrivel seria que poucos sobreviventes ficariam na Terra. Será esse talvez o tal ‘Inferno’ que referiu com todas as almas ardendo ficando em brasa ou negros carvões de um cenário de Dante. Os milhares de bombas atómicas que já existem podem levar a isso, mesmo por acidente, e os Seres Extraterrestres sabem e observam tudo o que se passa neste Planeta, caro Romão, e te garanto que eles cumprem ordens divinas e Intervenção no tempo certo.

É aqui que entra as profecias de Jesus Cristo e o que ele falou no seu Sermão referindo-se a seres que viriam do céu, os tais ‘Anjos’ que surgiriam com “poder e grande glória” levando seus ‘eleitos’ ou escolhidos para lugares onde estejam a salvo de todo o perigo. Ademais, ele falou também de certos ‘sinais’ que estão sendo observados cada vez mais apenas pelos que estão atentos com olhos de ver e ouvidos de ouvir e coração de sentir.

Penso que já falámos tudo sobre esta questão e só me resta desejar que estejas preparado para um Mundo Novo e uma Nova Civilização.

Pausa para reflexão!

Rui Palmela

Romão Casals disse...

O cristianismo é um acontecimento, Deus irrompe na história e nos encontramos com ele colocando a vida à disposição de Jesus Cristo porque ele nos salva de verdade, é um mundo completamente diferente, é quase o avesso do comum pensamento mundano.

A revelação de Jesus é plena e não tem defeitos, a Sagrada Escritura é a palavra de Deus porque foi o Espírito Santo, Deus em pessoa, quem inspirou aquele texto, trata-se de uma revelação de Deus onde a Igreja é a presença de Cristo na história, o corpo vivo de Nosso Senhor Jesus Cristo na nossa vida.

É exactamente o facto de reagires diante da revelação bíblica com uma atitude completamente diferente, analisas o texto na perspectiva que te dá mais jeito e tiras as conclusões que te convêm. Anulas a autoridade dos próprios escritores, colocas a tua decisão e desrespeitas o superior discernimento dos apóstolos, mostras claramente que a bíblia possui um património comum onde pode encontra-se a fonte de moralidade.

O ser cristão, é no teu imaginário de verdades morais, uma pessoa que ama a bondade, que é compreensiva com os outros e que tem bons sentimentos, transformando a acepção da palavra em um vazio de significado. Na tua visão, a bíblia é um documento histórico que tem aspectos de verdade.

Existe um revisionismo das escrituras, apenas se realça o que interessa, são escolhidos os trechos bíblicos que concordam com uma doutrina ou um ensinamento, é com este tipo de contrafação filosófica que Allan Kardec pode escrever o seu evangelho segundo o espiritismo.

Nós católicos cremos, que para ser cristão é necessário acreditar na economia sacramental, na presença viva de Cristo ressuscitado. Para ser cristão, a pessoa precisa crer que Jesus é Deus, precisamos acreditar que Deus se fez homem, precisamos crer que ele ressuscitou dos mortos.

Nós cristãos católicos, queremos não somente na bíblia, mas na palavra de Deus, e essa palavra é uma pessoa, Jesus Cristo, é a palavra que se fez carne e habitou entre nós, a bíblia é apenas uma forma de transmitir ou receber a presença da pessoa que é Jesus.

Os espíritas crêem que Jesus é a encarnação de uma entidade superior que veio para ajudar os homens, os espíritas crêem que os anjos são entidades desencarnadas em um estágio superior, o espírita é aquele que acredita na revelação que vem dos espíritos, a bíblia é apenas um livro que contem normas morais e relatos equivocados de alguém que aguarda uma resposta à luz da sabedoria.

Ou seja:

Um cristão é para os espíritas, alguém que segue a moral judaico-cristã sujeito ao fanatismo desmesurado, preso a regras e preconceitos de uma religião que nada traz de útil para a insubstituível personalidade do homem. Pode dizer-se que o espiritismo padece de um certo pelagianismo, a heresia pelagiana, que na verdade nem a isso chega. O espiritismo é simples paganismo.

Nas religiões pagas é o homem quem se salva, ele tem que passar pelas diversas etapas ate chegar à sua salvação, o espiritismo é bem claro neste especto. A doutrina da reencarnação corrobora a divindade que não geometriza o chamamento da humanidade, esquecendo que, se Deus não veio para nos salvar, nós não temos condições de chegar ate ele.

Então ele veio, deixando-nos a sua palavra e o seu sacramento que vão sendo transmitidos ao longo dos séculos através da sucessão apostólica, por este motivo devemos estar em comunhão com a verdade para nos tornarmos membros da igreja de Deus.

Jesus é a revelação do Pai, Ele é o centro, o ápice da revelação, o próprio Deus que se fez homem, a palavra de Deus que se fez carne. Ele não é um Avatar, ele não e um espírito guia, ele não é um Maitreya, ou seja lá o que for.

Ele é, Deus.

Rui Palmela disse...

Caro Romão,

Confesso que não me identifico muito com a linguagem religiosa dos cristãos comuns mas sim dos verdadeiros seguidores de Cristo.

Falas que o Cristianismo é um acontecimento na história e nisso percebo bem aquilo que Carrine Dune afirmou exprimindo a ideia de que “de um ponto de vista cristão, vejo Buda como um precursor que prepara os caminhos do Senhor; de um ponto de vista budista vejo Jesus como o verdadeiro sucessor de Buda”.

Logo, não poderás entender os livres pensadores que afirmam algo que te escapa à compreensão porque limitas teus pensamentos aos conceitos da tua Religião (a de Roma, aquela que apregoa a doutrina cristã mas não vive os Evangelhos de Cristo) e nisto é verdade aquilo que Gandhi disse uma vez a uns emissários do Vaticano que o visitaram na India e pretendiam convertê-lo ao Cristianismo. O grande pacifista e humanista do século XX respondeu apenas isto: “Sim, aceito Cristo e os seus Evangelhos, mas não esse Cristianismo que aludes”... sábias palavras!

Tens duvidas de que Gandhi foi um verdadeiro Cristão? Lembro-te que ele perdoou seu próprio assassino tal como Jesus fez no alto da Cruz quando disse: “Pai, perdoai-lhes porque não sabem o que fazem”... Gandhi fez o mesmo pedindo clemência para seu algoz antes de morrer com 3 tiros no peito, perdoando-o, dizendo apenas que o criminoso não tinha sabido o que era o amor.

Por fim, dizes que Jesus é Deus quando ele próprio nega isso e se confessa como o Filho e nos considera todos como irmãos filhos do mesmo Pai Celestial e por isso disse também “vós sois deuses” criados à sua “imagem e semelhança” (como está escrito) que obviamente se refere mais à nossa Essência (imortal) e não à nossa existência (material). Entendes isto?

Enfim, caro Romão Casals, o tempo dos velhos pregadores da bíblia está a acabar e se levantam os novos arautos de Deus que não precisa de tua autorização nem de nenhuma religião para se manifestar a quem O recebe ou abre para Ele seu coração.

Pausa para reflexão!

Rui Palmela

Romão Casals disse...

“Eu e o Pai somos um” (João 10:30).

Foi precisamente esta declaração que provocou o desassossego entre os doutores da lei Judaica quando responderam, dizendo: “porque, sendo tu homem, te fazes Deus a ti mesmo.”

Jesus nunca os corrigiu dizendo: “Eu não afirmei ser Deus”

Embora equivocada, compreendo a tua posição teológica, tens o direito de pensar de acordo com a tua consciência, és livre de o fazer sem que alguém te repreenda e muito menos te menospreze. Simplesmente discordo com alguns conceitos menos esclarecidos que insinuas nas tuas dissertações.

O Jesus que muito elevas na tua singular realidade, não pode de forma alguma, ser o mesmo Jesus relatado nas cartas de Paulo, Tiago, João e Pedro. Seria uma contradição absolutamente inaceitável, confirmar a ideia de inocente imprudência por falta de conhecimento, pois nele habita corporalmente toda a plenitude da divindade.

Apesar da sua indiscutível autoridade, é passível de debate toda e qualquer contestação aos procedimentos políticos que implicam a Igreja Católica. A falsa irmã Lúcia produzida no interior do Vaticano, confirma uma dissimulada conspiração que não respeita a inteligência dos fiéis.

Rui Palmela disse...

Caro Romão, eu te lembro umas palavras de Jesus que dizia:

“Vós sois deuses, o reino de Deus está dentro de vós; procurai e encontrareis, batei e abrir-se-vos-á”... etc., etc.

Ele revelou que Deus está no interior de cada um de nós e não se encontra em nenhum templo de pedra ou altar de nenhuma igreja ou santuários dos homens onde se fazem tantas oblações e se distanciam de Deus fechando suas mentes e seus corações. Jesus confirmava isso dizendo: “Este povo honra-me com os lábios mas seu coração está longe de Mim”...

Ele se referia concretamente às crenças e tradições dos homens que falam tanto em Deus e no seu nome, divididos pelas Religiões, cumprindo rituais religiosos ou sacramentais mas não evoluem espiritualmente por estarem demasiado fixados aos dogmas e ideias cristalizadas em sua mente que os impede de pensar ou raciocinar livremente por temerem fazê-lo condicionados pela instituição.

Jesus foi peremptório ao dizer que Deus procura todos os que O amam em “espírito e em verdade”, e não duvides caro Romão que é esse sentimento que tenho em meu coração. Amo a Deus acima de todas as coisas e estou grato por tudo o que me concede ou me faz viver nesta existência seguindo a luz de minha consciência.

Logo, não castro meu cérebro como muitos religiosos o fazem e digo tudo o que penso e sinto vislumbrando coisas que te escapam à compreensão ou questionas porque achas que não tenho autoridade para fazê-lo e no teu entender eu devia simplesmente calar-me ou penitenciar-me por ousar pensar e raciocinar fora do âmbito da tua religião. Mas não, caro Romão, creio que Deus me guiará e inspirará sempre no cumprimento de minha missão, por mais que minhas palavras te inquietem e te incomodem ou escandalizem, quiçá desde tempos que já lá vão... Na verdade por alguma razão te chamei um dia de ‘inquisidor-mor’ e se pudesses me excomungarias ou lançarias na fogueira como no tempo da Inquisição.

Mas tal como te digo, caro amigo, o tempo dos velhos pregadores de bíblia na mão está terminando e surge um novo de grande Revelação sobre as verdades que é preciso conhecer e saber, muitas delas omitidas ou deturpadas pela própria Religião, aquela que dominou e obscureceu durante séculos e cairá conforme uma profecia de S. Malaquias que sinaliza o papa actual como o penúltimo antes do “Juizo Final”.

E pronto, caro Romão, penso que foi dito tudo em nossa longa discussão. Oxalá que ela tenha servido para se fazer luz, independentemente do conceito que ambos fazemos de Jesus.

Rui Palmela

Romão Casals disse...

Terminar a discussão? Nem penses, isto agora é que vai aquecer!

Na minha exegese anterior, a ocupação não me permitiu terminar o raciocínio. Mas antes de mais, vou citar duas declarações de tua autoria nas quais não me identifico:

1º (no teu entender eu devia simplesmente calar-me ou penitenciar-me por ousar pensar e raciocinar fora do âmbito da tua religião.)

Jamais diria tal imbecilidade, no meu entender deves sempre pronunciar-te com paixão respeitando as tuas convicções, porque tal como bem disseste, Deus procura todos os que o amam em espírito e em verdade.

2ª (se pudesses me excomungarias ou lançarias na fogueira como no tempo da Inquisição.)

Sou católico mas não sou propriamente o cretino de compreensão limitada a pensamentos e conceitos de uma religião. Quando muito, deixava-te amarrado a uma cadeira e dava-te bolachas maria durante uma semana.

Repara que, inúmeras vezes tenho alguma dificuldade em entender certas atitudes no ceio da Igreja, muitas das acusações que te indignam, também eu as reprovo. Mas isso não lhe anula a legitima autoridade na administração dos sacramentos de Jesus, definidos de maneira precisa por meio do código de direito canónico.

No entanto, é preciso não esquecer que a igreja é muito mais espiritual que simples matéria corruptível que agora (depois da queda) representa o homem.

Posto isto, vamos ver se nos entendemos pelo menos neste especto importante…

De facto, Jesus nunca poderia ter reivindicado exclusivamente para si, a plenitude da divindade, embora o tenha feito quando afirma a autoria da criação.

O desígnio interiorizado através do esplendor conhecido por “Deus”, refere-se unicamente ao estado em que se encontra a divindade. (facto irrefutável e consumado)

Pensa por exemplo no tempo, passado presente e futuro, qualquer uma destas realidades se referem a uma forma temporal momentânea, mas na ausência de uma destas presenças, o tempo deixa de existir. Por conseguinte, o tempo é composto por três unidades indissociáveis.

O mesmo se aplica ao espaço tridimensional, comprimento, largura e altura, se retirarmos uma só grandeza, o espaço deixa de coexistir na sua amplitude de profundidade. Porque qualquer uma delas se refere empiricamente ao espaço vetorial.

Com Deus acontece exatamente o mesmo, Pai, filho e Espírito Santo, são alusões aclamadas praticamente em toda a Bíblia e também referidas por Jesus. Todas são a mesma pessoa e basta que uma só se anule para que a total unidade em Deus seja destruída.

Foi por este motivo que nos momentos que precederam a morte de Jesus, desde o meio-dia até às três horas da tarde, as trevas envolveram toda a terra. Na humilhante angustia, Ele clama com voz forte: “Eli, Eli, lemá sabactháni”, isto é: “Meu Deus, meu Deus, porque me abandonaste”.

«É bem possível, pelo menos em teoria, que por momentos, toda a criação tenha cedido ao paradigma da existência»

Então, o véu do templo rasgou-se em dois, de alto a baixo. A terra tremeu e as rochas fenderam-se. Abriram-se os túmulos e muitos corpos de santos, que estavam mortos, ressuscitaram; e saindo dos túmulos depois da ressurreição de Jesus, entraram na cidade santa e apareceram a muitos. (Mateus 27:51-53)

A maravilhosa disposição e harmonia do universo, só pode ter tido origem segundo o plano de um Ser que tudo sabe e tudo pode. Isso fica sendo a minha última e mais elevada descoberta.
(Isaac Newton)

Rui Palmela disse...

“Terminar a discussão? Nem penses, isto agora é que vai aquecer!”...

Pois eu prefiro ficar por aqui, caro Romão, penso que já definimos bem nossa posição face a coisas que certamente continuariamos a discutir o dia e a noite inteira sem chegarmos a nenhuma conclusão, e tu ficarias citando toda a bíblia cada um fazendo sua interpretação.

De resto, “onde houver duas cabeças haverá sempre duas sentenças” e o assunto saiu completamente do tema em debate e se tornaria enfastiante e pouco interessante para qualquer leitor do artigo em questão, ou seja, REINO UNIDO QUER FAZER UMA GUERRA CONTRA EXTRATERRESTES?

Portanto, é bom que arrefeças teus neurónios cerebrais e fica cada um com sua convicção do que sabe e acredita, pouco adiantando mais.

Já agora termino citando uma frase do Papa João XXIII, o tal que teve um contacto alienígena no ano de 1961, e diz assim:

“Como Deus seria pequeno em ter criado esse imenso universo povoando apenas o planeta Terra, minúsculo. Isso não é o Deus que eu conheço"...

E Jesus já confirmava aquilo que eu próprio acredito quando instruia seus discípulos dizendo: “Na casa do meu Pai (O Universo) há muitas moradas”...

Se preferes continuar a discutir Teologia e Ortodoxia de ideias, é tempo perdido comigo!

Um abraço.

Rui Palmela

Romão Casals disse...

Continuaríamos a discutir dia e noite sem chegarmos a conclusão alguma?

Onde é que isto já se viu?

Devem ser os efeitos psicológicos dos novos tempos, os novos arautos de Deus que não precisam de autorização para se manifestar conforme lhes dá na real gana.

Ou então quem sabe, talvez os efeitos secundários de uma abdução extraterrestre.

Com essa filosofia deprimente não existiria consenso científico nem tão pouco congressos de pesquisa arqueológica e por ai em diante…

Só queria pelo menos que entendesses o conceito unificado da presença em Deus

Uma vez que te recusas a refletir sobre as noções de quantificação, fugindo sempre às questões pertinentes, de facto não vale a pena perder mais tempo.

Já agora peço desculpa por importunar a tua superior capacidade de argumentação.

Esta tua última intervenção é sem dúvida obra desenganada…

«Na casa do meu Pai (O Universo) há muitas moradas»

O universo é a casa do Pai?

Não sabia que Deus precisava ter feito o universo para se tornar, também ele, realidade aos olhos do Filho. Talvez Ele não seja eterno, é mais uma novidade.

Se Deus depende da criação, temos finalmente o paradoxo da imperfeição.

Mas não há problema, afinal vale tudo e mais alguma coisa para contrariar a entropia mensurável e irreversível de um sistema. Assim se contraria a 2ª lei da termodinâmica.

Fico triste com esse teu comportamento mas não deixo de ser teu amigo.

Rui Palmela disse...

Vejo que persistes e duvidas de que realmente existam outras moradas no seio do Universo além da Terra, caro Romão Casals, pois a leitura que faço das palavras de Jesus é mesmo essa de que até a próprio Vaticano já admite de que efectivamente NÃO ESTAMOS SÓS NO UNIVERSO.

Qual a leitura que fazes então das palavras de Jesus quando diz que “Na casa do meu pai há muitas moradas” referidas em João 14:2?

Mas independentemente da interpretação que fazes (diferente da minha) quando digo que a Casa do Pai é o próprio Universo no qual vivemos e existimos, eu diria também que há outros Seres mais evoluidos além do homem que não é a imagem da perfeição e sim uma criatura que precisa passar ainda por várias metamorfoses até alcançar um estado superior necessário para entrar nas Regiões Celestes, o tal “Reino dos Céus” que Jesus referia em seu Sermão, esclarecendo ainda ao sacerdote de Israel (Nicodemus) que teria de “nascer de novo” para ver o Reino de Deus nesse imenso Universo onde somos apenas uma micro-partícula com todo o sistema solar incluido.

Pouco importa de resto aquilo que acreditas ou não acreditas ou as leituras que faças da bíblia e interpretações que dás das inúmeras histórias e afirmações nela contidas. O mais importante é saber o que fazemos neste Planeta onde devemos viver mais de acordo com a nossa humana e verdadeira condição e não julgar que é apenas para comer, beber e procriar ou termos uma Religião para discutirmos e discordarmos uns dos outros fazendo guerras e dissenções em nome de nossas crenças e convicções.

Julgas meu comportamento errado apenas porque me recuso a continuar uma discussão estéril em que se extremam posições por termos nossas diferentes opiniões sobre coisas que para mim são claras e para ti são obscuras porque te limitas a raciocínios bíblicos da época medieval que como católico romano ainda manténs no século actual. De resto, para mim ser católico é ser universal e estar mais aberto e receptivo a conhecimentos que não se estagnam na Religião (romana ou outra) e sim ser livre de mente e coração.

Não fujo por isso ás “questões pertinentes” como me acusas mas sigo sim uma velha máxima bíblica que diz: “não respondas ao tolo segundo a sua estultícia mas de forma a que não se ache um sábio aos seus próprios olhos”... E isso podes achar também de mim, claro, pelo que talvez o tempo seja agora o melhor Mestre que nos faça entender o que falta num e noutro para ter sobre Deus, a vida e o Universo, uma melhor compreensão.

Resta-me desejar por isso muita luz e prosperidade no teu Caminho e que Deus ilumine a mente dos homens deste planeta que já precisa urgentemente duma certa mudança e transformação. Creio também que está para breve o tal surgimento dos ‘Anjos’ que virão sobre as ‘nuvens’ do céu com poder e ‘grande glória’ para fazer aqui uma certa Intervenção como Jesus dizia no seu Sermão.

Pausa para reflexão!

Rui Palmela


P.S. - está fechado este tópico.

Related Posts with Thumbnails